top of page

Sem ar

Atualizado: 24 de jan.


I can usually drink you right off of my mind But I miss you tonight I can usually push you right out of my heart But I’m too tired to fight

Você olha para mim com aquela expressão de dúvida, de desalento, e não sei como reagir. A ansiedade me consome, te consome, nos incapacita e nos coloca frente a frente sem chance de fugir. Faz frio mas está quente; o suor escorre por suas têmporas e goteja pelos cabelos enquanto você tenta, inutilmente, mentir que nada te abala. Que eu não te abalo. Mas é tarde, estamos cansados e estamos excitados demais para dormir. Olhamo-nos novamente, forçamos o olhar para o outro lado, fingimos que não queremos nos aproximar mas nossos corpos gravitam um para o outro.


Muito perto. Seu cheiro amadeirado está misturado com o aroma de seu corpo masculino e me inebria. Sei que não consigo resistir ao seu perfume quando você passa por mim. Não quero olhar em seus olhos novamente e desvio minha atenção para outra parte do seu corpo, mas me perco em sua nudez parcial. Os músculos contraídos de seu pescoço e ombros, os braços definidos, o cós da calça de moletom. Sua beleza me confunde, mas preciso resistir a você. Fecho os olhos.


Sinto o toque trêmulo de seus dedos em meus cabelos. Você deveria ser forte, porque eu não vou conseguir. Meu corpo reage violentamente e pende em sua direção; quero ser envolvida por seus braços e arrebatada por seus lábios. Mas você apenas coloca as mãos em meus ombros. Testa com testa, nos apoiamos mutuamente. Minhas pernas vacilam e o ar está muito denso para me permitir respirar. Toco sua pele. Deslizo a mão por seu peito nu, tateando suavemente suas formas perfeitas. Você reage; percebo seus pulmões se contraírem e o diafragma paralisar. Seja forte.

Yeah the whole thing begins And I let you sink into my veins And I feel the pain like it’s new Everything that we were Everything that you said Everything that I did and that I couldn’t do Plays through tonight

Seus dedos pressionam minha carne quando toco sua barriga, delineio os músculos, permito-me atingir o tecido que te cobre. Estamos muito perto. Seu hálito cheira a álcool e a embriaguez nos vulnerabiliza. Os lábios se encontram e parecemos entrar em combustão. Seu gosto é peculiar; eu já sei como é mas não canso de me surpreender. Cada dia você tem um sabor diferente, um sabor proibido, que deveria me fazer afastar, desistir, fugir para bem longe. Mas não consigo. Não me importo. Você me toca. Lenta e imperceptivelmente desabotoa minha blusa. Expõe-me. O beijo é intenso mas sinto seus lábios indo além. Você me desnuda, me empurra contra a parede, me suspende no ar e me penetra. Não vi quando fiz o mesmo com você, quando te libertei do moletom, mas não importa. Você não é forte o suficiente. Não devemos estar aqui.

Tonight your memory burns like a fire With every one it grows higher and higher And I can’t get over it, I just can’t put out this love I just sit in these flames and pray that you’ll come back Close my eyes tightly, hold on and hope that I’m dreaming Come wake me up

Não é suave. Não é sutil. Somos como fogo. Anseio que você me consuma, você anseia prolongar o momento ao máximo. Seguimos nos frustrando. É mais rápido do que você espera, menos agressivo do que eu preciso. Quero você como uma droga. Terminamos exauridos sobre a cama. O que estamos fazendo? Não consigo olhar para você. Sinto que se aproxima de novo e seus lábios em minha pele. Estou frágil. Meu corpo convulsiona por seu toque em minha intimidade. Sei que você quer mais, precisamos de mais, mas não temos tempo. Abro os olhos. A noite está se esvaindo em raios de sol que já tingem o céu com uma matiz rosada.

Turn the TV up loud just to drown out your voice, but I can’t forget Now I’m all out ideas and baby I’m down to my last cigarette Yeah, you’re probably asleep deep inside of your dreams while I’m sitting here crying and crying to see Yeah, whatever you are baby now I am sure you moved on and aren’t thinking twice about me And you tonight

O despertador toca. São cinco e meia. Você é uma sombra, um fantasma. Beija-me outra vez, a última vez. É sempre a última vez. Não podemos estar aqui mas não posso permitir que se afaste. Quero me atirar ao chão e implorar para que fique. Razão e emoção disputam um pequeno espaço em mim enquanto observo-o vestir-se. Ainda não estou satisfeita. Sua face não exprime nada. Não sei como se sente. Sei que me quer. Mas não é o suficiente. Nunca é. Você se levanta e se afasta. Caminha para a porta. Fico ali sem conseguir reagir. O despertador toca novamente. Ouvimos movimento do lado de fora. Não sei o que é mas não importa. Olho para você enquanto sai. Quero impedir, não tenho forças.

I know that you’re moving on I know I should give you up But I keep hopin’ that you’ll trip and fall back in love Time’s not healing anything Baby this pain is worse than it ever was I know that you can’t hear me but baby I need you to save me tonight

Fecho os olhos. Tateio a mesa ao meu lado e encontro a garrafa de uísque. Ela está pela metade e não sei se fomos nós ou se já estava desse jeito. Sirvo-me de um drinque. Não consigo me vestir e apagar as sensações que você deixou. Olho pela janela. São seis horas. Preciso enfrentar mais um dia. Preciso fingir que é mais fácil sem você. Engano-me que é a última vez. Que não vamos mais sucumbir. É sempre a última vez. Volto a respirar.


5 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

bottom of page